ARTIGOS FILOSOFIA

23/05/2011

SER – SENTIDO !

TOC! TOC! TOC!

EI, VOCÊ ! SIM, VOCÊ MESMO! SER-SENTIDO!

JÁ CHEIROU AS CHUVAS DAS MADRUGADAS ?

JÁ OUVIU O LAMENTO DE UMA LÁGRIMA ANÔNIMA ?

BEIJOU OS LÁBIOS DE SUAS DÚVIDAS ?

SORVEU O DOCE DAS PALAVRAS ÁCIDAS?

APASCENTOU REBANHOS? ENGOLIU SECAS FRUSTRAÇÕES?

DIVIDIU SEU POUCO? DRIBLOU SUAS MORTES?

NÃO ?

AH!, MAS COM CERTEZA, JÁ CHEIROU, OUVIU, BEIJOU, SORVEU, APASCENTOU, ENGOLIU, DIVIDIU E DRIBLOU AS MIUDEZAS DE ROTINAS MEDÍOCRES DE UMA EXISTÊNCIA SEM VIDA, NÃO É?

POIS É! O QUE ACHA DISSO ? OLHE PARA TRÁS: O QUE VÊ ? O QUE OUVE ? O QUE SENTE ?

MÚSICA? OCO SILÊNCIO.

GOSTO, CHEIRO ? VAZIO FECHADO.

SENTIDO ? NENHUM.

ESTE É O PONTO; ESTE É O POSTO : BAILAR OS SENTIDOS NA FRÁGIL TESSITURA DA VIDA, PORQUE NO MILAGRE DA EXISTÊNCIA NINGUÉM NASCEU PARA SER ÓBVIO!


 
 
Senhor Fabio Trad, Sou morador da rua Natalie Wood no Bairro Campo Nobre e ao...
Alan Nantes