Voltar para notícias

Cidades com menos de 50 mil habitantes receberão recursos para o enfrentamento ao crack

24 abr 2013 | Notícia | Escrito por: Redação | Compartilhe

A Frente Parlamentar Mista de Combate ao Crack conseguiu sua já a primeira vitoria: a garantia do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, de que as cidades com menos de 50 mil habitantes também recebam recursos para o enfrentamento ao crack, flexibilizado a politica nacional de combate a droga.

Para o vice-presidente da Frente, deputado Fabio Trad (PMDB-MS), trata-se de uma uma conquista importante: "O Congresso Nacional, com essa frente parlamentar, pode lutar em várias trincheiras. A ampliação do plano nacional de combate ao crack para as pequenas cidades, aquelas cidades com menos de 50 mil pessoas, é uma delas. Esta vitória mostra que a Frente veio para fazer a diferença, pois o crack não conhece fronteiras e está destruindo famílias e sonhos. Vamos reagir com todas as nossas forças", afirmou.

Segundo Fabio Trad, em pequenas cidades da fronteira do Mato Grosso do Sul, a pedra de crack pode ser comprada por apenas 20 centavos.

Ainda dentro das políticas de combate ao crack, Fabio Trad voltou a defender a internação involuntária dentro de certos critérios: "Desde que executada por uma equipe multidisciplinar e dentro dos parâmetros legais, é um ato de amor. Porque se o Estado se omitir, se o Estado quedar-se inerte frente a esse escândalo, desse descalabro em presenciar os seus cidadãos definhando como zumbis; neste caso o Estado poderia ser responsabilizado por omissão", avaliou.

Lançada no dia 17 com o apoio de 277 deputados e 34 senadores, a Frente Parlamentar Mista de Combate ao Crack é uma das maiores do Congresso. Com o debate em curso sobre descriminalização do porte de drogas e a polêmica em torno da internação involuntária, a Frente tem muito a colaborar.