Voltar para notícias

Fábio cobra do Ministério da Justiça que coloque Federal para investigar execução de promotor

14 out 2013 | Notícia | Escrito por: Redação | Compartilhe

O deputado federal Fábio Trad (PMDB-MS) diante do brutal assassinato do promotor de Justiça, Thiago Faria de Godoy, executado com 20 tiros nesta segunda-feira em Itaíba, município do agreste pernambucano, defendeu a imediata intervenção do Ministério da Justiça que na sua opinião dever acionar a Polícia Federal para atuar nas investigações. “O fato é tão grave que o ministro José Eduardo Cardozo não deve envidar esforços no sentido de colaborar com a polícia pernambucana para que haja a cabal elucidação deste crime”. O parlamentar sul-mato-grossense ressalva que todo o homicídio é grave “mas o homicídio de um promotor de justiça,sobretudo, se motivado por questões inerentes ao cargo, agride e vulnera princípios fundamentais do Estado democrático de Direito à medida em que inverte toda a estrutura sobre a qual se apóia a ordem social”. Na avaliação de Fábio Trad “a ousadia covarde da bala não pode prevalecer sobre a força da honrada da autoridade investida”. Execução – De acordo com informações da polícia local, o promotor Thiago Faria estava dentro do seu carro, no município de Itaíba, no Agreste de Pernambuco, quando foi atingido pelos disparos. O crime ocorreu na rodovia PE-300, quando a vítima seguia para o trabalho. A polícia ainda está investigando o crime, mas já trata o caso como sendo crime de execução. Thiago era formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, autor de livros jurídicos e professor de cursos preparatórios para concursos. Ele tomou posse como promotor em dezembro de 2012. Segundo a Associação Nacional dos Procuradores da República que procuradores da República – membros do Ministério Público Federal – também foram vitimados em Pernambuco. No dia 3 de março de 1982, Pedro Jorge de Melo e Silva foi assassinado, com seis tiros, três à queima-roupa, por investigar o chamado “Escândalo da Mandioca”.