Voltar para notícias

Fabio Trad comemora aumento de penas para ‘racha’ e ultrapassagem perigosa

25 abr 2013 | Notícia | Escrito por: Redação | Compartilhe

A Câmara Federal aprovou ontem o Projeto de Lei 2592/07, do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), com a incorporação da proposta do deputado federal Fabio Trad (PMDB-MS), que aumenta a pena para a prática do “racha” em vias públicas de seis meses a dois anos de detenção para seis meses a três anos. São criadas também penas de reclusão se, desse crime, resultar lesão corporal grave ou morte. A matéria será votada ainda pelo Senado.

Para o deputado federal Fabio Trad (PMDB-MS), trata-se de uma importante ferramenta para coibir esta prática perigosa e irresponsável: "Ao responsabilizar as pessoas que adotam estas práticas de forma mais dura, estamos colaborando para coibi-la", afirmou.

O texto acatado pelo Plenário é do deputado Hugo Leal (PSC-RJ), que incorporou mudanças sugeridas por diversos deputados, entre eles Fabio Trad. A principal novidade em relação ao Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) atual é a introdução da pena de reclusão para os agravantes que possam ocorrer na prática do racha, mesmo que o agente não tenha desejado o resultado nem assumido o risco de produzi-lo.

No caso de morte ocorrida em decorrência do racha, a pena será de reclusão de 5 a 10 anos, sem prejuízo de outras penas. No texto aprovado pela Comissão de Viação e Transporte, era de 5 a 15 anos. Para a lesão corporal grave, a pena será de 3 a 6 anos, em vez de 3 a 8 anos como aprovado pela comissão.

O texto também aumenta em dez vezes as multas aplicáveis nos casos de “racha”, “pega”, manobras perigosas, arrancadas e competições não autorizadas. Atualmente, elas variam de uma vez a cinco vezes. No caso de reincidência dentro de 12 meses, a multa aplicada dobra. O recolhimento do veículo e a suspensão do direito de dirigir continuam.

Para a ultrapassagem na contramão em situações perigosas, como curvas, faixas de pedestre, pontes ou túneis e nas faixas duplas contínuas, a multa passa a ser de cinco vezes, com aplicação do dobro na reincidência.

Quem ultrapassar outro veículo pelo acostamento ou em interseções e passagens de nível terá multa equivalente a cinco vezes a normal, e a falta passa a ser considerada gravíssima.

No caso de ultrapassagem em pistas de duplo sentido, se o condutor forçar a passagem entre veículos, a multa será de dez vezes a atual, com aplicação do dobro na reincidência e suspensão do direito de dirigir.