Voltar para notícias

Fabio Trad denuncia bullying político de Bernal contra vereadores

04 mar 2013 | Notícia | Escrito por: Redação | Compartilhe

A falta de habilidade política do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), no trato com o legislativo municipal campo-grandense está gerando protestos em diversas áreas da sociedade. Nesta segunda-feira, 4, Bernal disse que vai citar nomes daqueles vereadores que, segundo ele, estão “atrapalhando a sua gestão”. Para o deputado federal Fabio Trad (PMDB), trata-se de “bullying politico”. 

“Ora, fazer oposição é crime agora? Não há outro termo para classificar o gesto inaudito, com claro viés patológico, do prefeito de campo grande. Ameaça? Chantagem? O que é isso? É bullying”, afirmou o deputado sul-mato-grossense ao tomar conhecimento dos constantes ataques promovidos por Bernal contra a Câmara Municipal.

Para Fabio Trad, a existência da oposição é condição para a democracia: “Bernal parece pensar diferente. Sua lógica é que oposição é crime. Como se crime fosse não lhe lamber as botas de forma submissa e subserviente a sua imperial vontade. Será que Bernal conhece os mecanismos institucionais de uma democracia? Que democracia ele defende ao criminalizar a oposição, como se fosse obrigatória a vassalagem do legislativo ao executivo?”, questionou.

O deputado lembrou ainda da que Bernal foi vereador e deputado e que, nestas oportunidades, fazia oposição com desembaraço e total liberdade, sem ser ameaçado ou chantageado pelo prefeito ou pelo governador: “Agora que mudou de lado, sendo vidraça, não suporta críticas e pratica bullying contra um poder constituído, para ter a sua disposição apenas os bônus do poder que adula e envaidece”.

Fabio Trad instou os vereadores de Campo Grande a resistirem contra o assédio do prefeito: “Os parlamentares municipais devem resistir bravamente, com altivez e galhardia, pois já não mais defendem apenas a política de suas ações, mas o próprio poder legislativo e a democracia, flagrantemente ameaçadas pelo bullying politico de um prefeito autoritário e intolerante”.