Voltar para notícias

Fabio Trad: “É hora de oxigenar a direção do PMDB em MS”

05 nov 2012 | Notícia | Escrito por: Redação | Compartilhe

O deputado federal Fabio Trad (PMDB – MS) manifestou-se nesta segunda-feira, 5, sobre os rumos do diretório regional do PMDB guaicuru. Para Fabio Trad, a hora é de mudar o rumo em direção a uma política de união. Fabio criticou o atual presidente do diretório, Esacheu Nascimento, que estaria implementando uma política de desagregação dentro do partido.

“O atual presidente do diretório faz declarações públicas afrontosas aos correligionários, criticando abertamente políticas sociais do partido, contrariando preceitos estatutários básicos. Todos sabem bem que o atual presidente faz uma política de segregação dentro do partido, procurando criar uma aparência de divisão interna que não existe ainda”, afirmou Fabio Trad.

Para Fabio, a oxigenação do PMDB-MS é fator essencial para a manutenção de uma convivência harmoniosa entre os correligionários e para manter o partido forte e coeso. “Vejo com muito entusiasmo a oxigenação do diretório estadual do PMDB. O partido precisa ser dirigido por uma liderança politica que adote métodos construtivos de harmonização e unidade entre seus membros. Particularmente percebo entre os filiados o desejo de contar com um partido cujo diretório não desagregue e desuna, antes consolide e fortaleça a linha de coesão interna das vertentes peemedebistas.”.

O deputado sul-mato-grossense disse ainda que o partido tem nomes gabaritados para assumir a sua direção, com políticas que tornem a legenda unida em torno de seus ideais. ”O nome do Moka (senador Waldemir Moka) é muito positivo. É um político extraordinário. Também sugeriria o Youssif (o ex-deputado estadual Youssif Domingos), que para mim é um dos quadros mais qualificados do partido. O que importa, porém, é que sob a liderança maior de André Puccinelli, secundado por forças emergentes como Nelsinho Trad e Simone Tebet, estejamos fortes e principalmente unidos, pois todos os peemedebistas tem o direito de, ao menos, sentir que a direção estadual joga a favor do time e quer bem a todos, o que não se dá com o atual presidente que, por mais que tente, não consegue esconder suas idiossincrasias em relação a segmentos do partido.