Voltar para notícias

Fabio Trad sugere técnicos e não políticos em órgãos federais

26 jan 2012 | Notícia | Escrito por: Redação | Compartilhe

O deputado federal Fabio Trad (PMDB – MS) manifestou-se esta semana sobre a nomeação de políticos para órgãos federais em Mato Grosso do Sul. Em recente entrevista sobre o afastamento do Superintendente do DNIT/MS, Marcelo Miranda, Fabio já havia sugerido que a escolha do sucessor não deveria ser feita por critério político: "Sugeri que os parlamentares da nossa bancada federal subscrevessem à Presidência da República solicitando a indicação de um técnico, servidor de carreira e com vida limpa", afirmou.

Fabio posicionou-se também contra a pressão política que estava sendo feita pela ocupação do referido cargo, por entender que não há sentido em se relacionar uma função técnica aos interesses de bancadas partidárias, o que, naturalmente, revelaria interesses subalternos, favorecimentos, etc.

Hoje, na Superintendência do órgão encontra-se um técnico de carreira fazendo um bom trabalho, com varredura em processos licitatórios suspeitos, alguns, inclusive, foram suspensos para as devidas adequações.

"Infelizmente, porém, na FUNASA/MS, depois de um processo de quebra de compromisso firmado entre os líderes das bancadas do PT (Cândido Vacarezza) e do PMDB (Henrique Eduardo Alves), foi nomeado um político para a Superintendência. Ora, não deveria haver diferença entre o Dnit e a Funasa, dois órgãos federais vinculados a ministérios, de maneira que, se a presidente Dilma Rousseff, em relação ao Dnit, exigiu alguém de carreira, não tem por que ser diferente com relação à Funasa", aponta o deputado sul-mato-grossense.

Para Fabio, a solução, nesse caso, seria a bancada federal se unir e se comprometer a escolher o melhor nome entre os funcionários da Funasa, sem teor político ou eleitoral.