Voltar para notícias

FábioTrad diz que Brasil precisa de reformas e qualificar mão de obra para ganhar competitividade

08 out 2013 | Notícia | Escrito por: Redação | Compartilhe

Junto com a necessidade de garantir serviços públicos de qualidade em áreas como saúde educação e segurança pública, o deputado Fábio Trad (PMDB) avalia que um dos grandes desafios que a presidente Dilma Roussef e de quem for eleito em 2014 será liderar um amplo entendimento nacional em torno de reformas estruturais necessárias para garantir ao País maior competividade no mercado global. “Este modelo de crescimento baseado apenas no estimulo ao consumo já dá sinais de exaustão. O Brasil só conseguirá níveis de crescimento compatíveis com o seu potencial econômico, a grandeza do mercado interno de que dispõe, se obtiver maior produtividade que depende basicamente de investimento em inovação tecnológica e qualificação da mão de obra”, comenta o parlamentar. Dentro deste contexto é que a Fábio Trad destaca importância da correta aplicação dos recursos gerados pelos royalties do petróleo produzido no pré-sal que foram reservados para educação. “A estimativa é de que nos próximos10 anos que a educação tenha uma suplementação orçamentária de R$ 134 bilhões”, informa. Depois de atingido o objetivo de universalizar o acesso ao ensino, o deputado entende que este reforço de recursos devem garantir educação de qualidade, com valorização e qualificação do professore,s além da cursos técnicos profissionalizantes que preparem a juventude aos desafios do mercado de trabalho cada vez mais exigente em termos de qualificação. “O Brasil precisa resolver alguns gargalos, além dos problemas de logística e infraestrutura. É preciso superar o autêntico apagão de mão de obra que amplos da economia enfrentam”, avalia Fábio Trad. Um estudo apresentado em outubro de 2012 pela revista Exame apontou que um trabalhador brasileiro gera perto de 22 mil dólares por ano de riqueza, enquanto que um trabalhador norte-americano cerca de 100 mil dólares. Seriam necessários 5 brasileiros para gerar a mesma riqueza que um estadunidense e 4 para gerar o mesmo que um alemão. Interessante destacar que os alemães trabalham em média 38 horas por semana, desfrutam de 40 dias de férias e ainda possuem uma remuneração média melhor. Segundo o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), nos anos 80 a produtividade brasileira encolheu 1,35%, na década de 90 continuou em queda (1%) e teve um leve avanço nos anos 2000 (0,9%). Para se ter uma ideia a China, que tem produtividade média mais baixa do que a do Brasil, vem apresentando taxas de crescimento de 9% ao ano. Se continuar nesse patamar a China ultrapassará o Brasil por volta de 2024. Na opinião do parlamentar peemedebista, é necessário também adotar medidas que racionalizem o custo e garantam maior agilidade à máquina pública. Como parte do esforço para o combate a corrupção,Trad defende a valorização das carreiras de estado, especialmente os setores que atuam na área de fiscalização e controle da aplicação dos recursos públicos. Na opinião do deputado é necessário também promover uma reforma tributária que desonere a produção, além de se criar um ambiente de estabilidade jurídica com marcos legais dotados de previsibilidade para o empresário investir com segurança.